Comidas do Mundo: A gastronomia internacional em nosso dia-a-dia

 / Alimentação  / Comidas do Mundo: A gastronomia internacional em nosso dia-a-dia
12 jun

Comidas do Mundo: A gastronomia internacional em nosso dia-a-dia

O Tapera Branca já está em clima de Copa do Mundo!

Estamos preparando novidades em nosso buffet em comemoração ao evento que reúne o mundo todo em torno de uma paixão comum, o maior esporte do globo: o Futebol.

Este ano, teremos diversas receitas em homenagem aos países participantes, conforme realizam suas partidas.

Como especialistas que somos em Culinária Brasileira, achamos por bem identificar as grandes influências gastronômicas que fazem parte do nosso cotidiano.

A culinária brasileira é repleta de sabores nem tão brasileiros assim…

O povo brasileiro é conhecido por sua hospitalidade e acolhimento de estrangeiros e, o forte movimento migratório do séculos XVI a XX, tiveram grande influência na gastronomia do brasileiro.

África, Ásia, Europa e América Pré-Colombo, todos tiveram alguma influência nos hábitos alimentares dos brasileiros.

Neste artigo, separamos algumas delícias que já fazem parte da nossa rotina. Confira!

 

Influência Japonesa

Comida oriental

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

Que o Sushi, Temaki e Rolinho Primavera fazem parte da culinária oriental todo mundo sabe, mas o que comemos aqui é bem diferente…

Califórnia Roll, Hot Roll, Philadelphia Roll? Esqueça isso!

Os norte americanos e brasileiros adaptaram o sushi para o gosto dos respectivos países e o que comemos é completamente diferente do que é servido no Japão.

Por exemplo, você nunca encontrará um prato autêntico japonês com abacate ou cream cheese. Por lá, eles prezam a leveza e o equilibro do prato, algo bem simples mesmo.

E pasme, não existe Temakerias no Japão!

O Temaki lá é um prato que não têm tanto destaque como aqui no Brasil, isso porque a ideia do salmão cru enrolado em um cone de alga marinha com cebolinha e cream cheese é uma invenção totalmente brasileira.

O nosso Rolinho Primavera é conhecido como Harumaki no Japão e é recheado apenas de legumes. Como de costume, o prato chegou ao Brasil e sofreu alterações, o “rolinho brasileiro” conta com versões doces e até de queijo.

E até o nosso macarrão instantâneo é apenas uma imitação do Lamen Japonês.

 

Hot Dog e Hambúrguer – Influências americanas?

Hot Dog e Hamburguer

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

Pelo nome já dá para ter uma noção da sua origem, mas o Hot Dog, ou o nosso cachorro-quente, não foi inventado por um americano ou inglês e sim por um alemão.

Isso mesmo! Segundo a história, um imigrante alemão que morava nos Estados Unidos começou a vender salsichas dentro de um pão de leite comprido com chucrute nas ruas de Nova York e virou o maior sucesso.

Agora, purê de batata, vinagrete, batata palha, seleta de legumes, bacon e outras diversas coisas que acompanham o famoso “Dogão” é coisa do brasileiro.

E se você se pergunta o porquê do nome tão curioso, aqui vai a resposta: Os alemães não levaram somente a salsicha para a América, mas também os cães da raça “dachshund”, também chamado de “bassê”.

O nome acabou surgindo como uma piada sobre os cachorros dessa raça que possuem um corpo comprido e fino como o de uma salsicha.

E o Hambúrguer é invenção dos americanos, certo? Errado!

Mais uma vez os alemães possuem o título de criadores. Os imigrantes alemães, embarcados no porto de Hamburgo, da onde surgiu o nome Hambúrguer, aproveitavam a carne entre dois pedaços de pão para poder comer algo durante o trabalho nas embarcações.

Porém, a técnica de moer a carne para torna-la mais digerível se deu com os Tártaros em suas invasões na Europa nos séculos XII e XIII.

Por ser um alimento saboroso, prático, rápido e barato, o Hambúrguer se popularizou nos Estados Unidos e acabou ganhando o mundo, chegando ao Brasil, onde encontramos diversos tipos, sabores e acompanhamentos para esta delícia.

 

Pizza e Lasanha – Itália

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

Aquela pizza na sexta-feira e a lasanha no almoço de domingo são tão comuns que até esquecemos que essas comidas não são daqui.

A pizza foi criada e difundida mundialmente através dos italianos, com massa e recheio simples, mas o brasileiro acabou dando o seu toque especial, criando diversos sabores, formatos e jeitos de se comer pizza.

Há evidências de um prato muito parecido com a Lasanha feito na corte do Rei Ricardo II na Inglaterra no século XIV, mas a tradicional Lasanha que faz parte das nossas refeições é de origem italiana.

 

Croissant e “Pão Francês” – França

Croissant

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

O pãozinho que é o queridinho das padarias brasileiras na verdade é de origem Austríaca.

Conta a história que enquanto os padeiros de Viena trabalhavam durante a madrugada, ouviram o barulho dos inimigos do Império Otomano cavando túneis para tentar atacar a cidade. Os padeiros então alertaram o povo e conseguiram impedir o ataque, em recompensa, pediram que pudessem criar algo para comemorar a vitória contra os inimigos e assim nasceu o pão folheado em formato de meia lua sob o nome de Kipferl.

Mais tarde, a austríaca Maria Antonieta, ao se casar com Luís XVI da França, introduziu o pão na cultura francesa que ganhou o nome de Croissant, que geralmente é servido sem recheio.

Ah, e o tal do “pão francês” também é invenção nossa! Tudo começou no século XIX, naquela época, o pão popular na França era pequeno, arredondado, com miolo duro e a casca dourada, um percursor da baguete, que só consolidou a forma comprida e cilíndrica no século XX.

Enquanto isso, aqui no Brasil, o pão nosso de cada dia possuía o miolo e casca escuros, uma versão tropical do pão italiano. Mas, quando a elite brasileira viajava para Paris, voltavam querendo o tal pão que por lá comiam e os seus padeiros faziam o possível para reproduzir a receita pela descrição de seus chefes, sem uma receita exata, surgindo então o “pão francês”, que teve inspiração na França, mas na verdade se tornou completamente diferente do que é comido por lá, sobretudo por levar açúcar e gordura na massa.

 

Bacalhoada – Portugal

Bacalhoada

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

Tradicional da culinária portuguesa, a Bacalhoada faz parte da história do Brasil. Nos tempos das Grandes Navegações, quando o nosso país foi colonizado pelos europeus, o peixe seco e salgado era uma das poucas carnes que podiam ser consumidas a bordo por conta da falta de local próprio para armazenamento e temperos para cozinhar. E o brasileiro não pensou duas vezes antes de adotar esse delicioso prato a nossa culinária.

 

Culinária Árabe

Esfiha e Quibe

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

É só ir em qualquer lanchonete, padaria e até mesmo redes de fast food especializadas, que você encontra quibes e esfihas de diversos tipos, mas na verdade estes pratos são do Oriente Médio, mais precisamente da Síria e Líbano, e chegaram aqui no Brasil junto com a onda dos imigrantes árabes.

O nome Quibe é derivado da palavra Kubbeh, que significa “bola”, por ser nada mais que um bolinho de carne temperado com ervas.

A Esfiha tradicional sempre é feita com massa de pão, recheada com carne bovina, de carneiro, queijo, coalhada ou verduras temperadas e assada no forno.

 

Strogonoff – Rússia

Strogonoff

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

 

O Strogonoff é uma adaptação de um prato Russo chamado “Stroganov”, nome derivado de uma família real do período czarista, por lá o prato é feio com carne bovina ou de frango em um molho à base de creme de leite.

Isso mesmo, sem molho de tomate, ketchup, mostarda, cogumelos e o acompanhamento de arroz!

Mais uma vez o brasileiro transformou um prato para chamar de seu.

Cuscuz – África do Norte

Cuscuz

Comidas do Mundo: A culinária estrangeira no nosso dia-a-dia – Tapera Branca Restaurante

O cuscuz nosso de cada dia que parece ser tão brasileiro na verdade é um prato típico do norte africano.

Por lá, os cereais são preparados normalmente com água, incluindo vegetais cozidos e carne e os acompanhamentos podem variar de acordo com o costume local.

Aqui no Brasil, temos a opção doce com leite de coco e tapioca, típica da região norte e no sudeste do país, principalmente em São Paulo, o Cuscuz é consumido salgado, normalmente acompanhado de ovos, legumes e algum tipo de carne.

 

Conteúdos Exclusivos

Gostou deste artigo?

Então participe, deixe seu comentário abaixo e interaja conosco nas redes sociais. Queremos disponibilizar conteúdos cada vez melhores para você! Fique à vontade para deixar sugestões, críticas e elogios.

Cadastre seu e-mail abaixo para receber, em primeira mão, nossos artigos, receitas, promoções e novidades.

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

 

Veja Também

Comida de mãe: Galinhada da Mama – RECEITA EXCLUSIVA

Nada melhor do que o sabor de Comida de Mãe para aquecer o estômago e o coração.

Leia Mais

 

Compartilhar
Danilo Toledo

Administrador, Gerente Administrativo do Tapera Branca Restaurante. Pai de família e corredor amador.

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário